CLASSIFICAÇÃO INTERNA

PRESCRIÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS PARA AVALIAÇÃO DE DOENÇA ALÉRGICA

 

ADAPTADO DE: NOC DGS

VALIDAÇÃO: Rita Aguiar (USF Bom Porto / ACeS Grande Porto V – Porto Ocidental)

ATUALIZAÇÃO: 04/02/2019

Rastreio inicial
[Not supported by viewer]
Inclui:

1) Alergia respiratória e/ou ocular: manifestações clínicas de asma (pieira, tosse, dispneia), rinite (rinorreia, obstrução nasal, espirros) ou conjuntivite, relacionadas com a exposição a ácaros, pólens ou fungos.

2) Alergia alimentar: manifestações clínicas relacionados com ingestão, inalação ou contacto com alimentos (cólicas, dor abdominal, vómitos recorrentes, recusa de alimentar, diarreia crónica, atraso no crescimento, eczema).

     > Crianças: leite de vaca, ovo, peixes (pescada, bacalhau), cereais (trigo), soja, amendoim, frutos frescos, crustáceos (camarão), frutos secos (noz, avelã, amêndoa), legumes. 

     > Adultos: frutos frescos (pêssego, maçã, kiwi), crustáceos (camarão), peixes (bacalhau e atum), frutos secos (noz, avelã, amêndoa), amendoim.

3) Alergia medicamentosa: utentes com reação alérgica imediata a antibióticos betalactâmicos (penicilina G, penicilina V, ampicilina, amoxicilina, cefaclor) ou outros fármacos.

4) Alergia ao látex: situações clínicas em que a reação está relacionada com a inalação ou contacto com látex, como é o caso dos profissionais de saúde ou os doentes submetidos a intervenções cirúrgicas múltiplas.

5) Alergia ao veneno de himenópteros: situações clínicas em que a reação está relacionada com a picada de himenóptero (abelha, vespa).

[Not supported by viewer]
O doseamento de IgE total somente está indicado para situações particulares:

1) diagnóstico e monitorização terapêutica da aspergilose bronco-pulmonar alérgica;
2) determinação da dose inicial do tratamento com omalizumab;
3) diagnóstico da síndrome de hiper-IgE.

Não tem indicação no rastreio de alergia respiratória ou alimentar.
[Not supported by viewer]
História clínica sugestiva de doença alérgica
[Not supported by viewer]
Testes cutâneos por picada (Prick test) indisponíveis ou contra-indicados
[Not supported by viewer]
Inclui:

1) Contra-indicação para suspensão de terapêutica com anti-histamínicos ou antidepressivos tricíclicos.
2) Presença de patologia que afeta a pele (ex. eczema extenso, ictiose, dermografismo).
3) Elevado risco de reacção anafilática ao alergénio.
[Not supported by viewer]
Utilizar painel de anticorpos IgE específicos para mistura de alergénios inalantes e/ou alimentares
[Not supported by viewer]
Positivo ?
[Not supported by viewer]
Indicação para medidas de evicção alergénica
e/ou imunoterapia com alergénios 
[Not supported by viewer]
Doseamento de anticorpos IgE específicos isolados
<font style="line-height: 190%">Doseamento de anticorpos IgE específicos isolados<br></font>
Ponderar outras causas 
[Not supported by viewer]
Inclui:

1) Phadiatop (painel de 8 alergénios inalantes): dermatophagoides pteronyssinus, dermatophagoides farinae, caspa de gato, caspa de cão, misto de microorganismos, misto de gramíneas, misto de ervas infestantes e misto de árvores.

2)
 Fx5 (painel de 6 alergénios alimentares): clara de ovo, leite, peixe (bacalhau), trigo, amendoim e soja.

resultado em valor semi-quantitativo/qualitativo. Valores abaixo do limiar de quantificação (geralmente < 0,35 PAU/I) indicam não atopia. Valores acima do limiar de quantificação indicam atopia. Quanto maior o valor obtido acima do limiar de quantificação, maior o grau de sensibilização à mistura de alergénios.

[Classe 1/fraco: 0,35 a 0,70; Classe 2/moderado: 0,70 a 3,50; Classe 3/alto: 3,50 a 17,50;
Classe 4/muito alto: 17,50 a 50,00; Classe 5/muito alto: 50,00 a 100,00; Classe 6/muito alto: > 100,00]


[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]
Teste cutâneo (Prick test)
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]
Positivo ?
[Not supported by viewer]
Mantém suspeita clínica
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Recomendações para a prescrição de anticorpos IgE específicos de acordo com a situação clínica:

1) Asma, rinite ou conjutivite: Ácaros, fungos, pólens (se persistente/perene). Pólens e fungos (se intermitente/sasonal).

2) Eczema: alergénios inalantes (ácaros, pólenes, fungos, animais) e alergénios alimentares na criança (ver em baixo).

3) Alergia alimentar: 

> Crianças: Leite de vaca, ovo, peixes, trigo, ómega-5 gliadina, soja, frutos frescos, amendoim, frutos secos, mariscos (crustáceos e moluscos), legumes. 
> Adultos: frutos frescos, mariscos (crustáceos e moluscos), peixes, frutos secos, amendoim.

4) Alergia medicamentosa (doseamento 4-6 semanas após reacção)

> Antibióticos: Penicilina G, penicilina V, ampicilina, amoxicilina, cefaclor 
> Anestésicos: Suxametonio, morfina
> Outros: Insulina, clorohexidina, gelatina, protamina, toxóide do tétano

5) Alergia ao látex

6) Alergia a venenos de himenópteros (doseamento 4-6 semanas após reacção)venenos de abelha (apis mellifera), abelhão (bombus terrestris) vespa (Vespula), vespa europeia (Vespa crabo) e vespa do papel europeia (polistes dominulus).


[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]

BIBLIOGRAFIA:

Portugal. Direcção-Geral da Saúde (DGS). Norma de Orientação Clínica nº 061/2011 de 29/12/2011 atualizada a 23/03/2015. Prescrição de Exames Laboratoriais para Avaliação de Doença AlérgicaLisboa: DGS, 2015.