Padrão normal

Palavras chave: ECG; normal
  • Bibliografia
  • Padrão ECG
  • Informação
Utilização de acordo com a licença CC BY-NC-SA 4.0
Imagens originais alteradas: incorporação de identificadores de região (a vermelho)
  • Ritmo irregular.
  • Ausência de ondas P.
  • Presença de ondas f ou oscilações de baixa amplitude da linha base (< 0,5 mm).
  • Duração QRS geralmente inferior a 120 ms.
  • Geralmente ocorre com frequência ventricular 110-160 bpm.
    • Denomina-se FA com resposta ventricular rápida quando FC > 100
    • Denomina-se FA com resposta ventricular lenta quando FC < 60
  • Fenómeno de Ashman: condução aberrante ventricular (geralmente sob a forma de extrassitole ventricular com bloqueio de ramo direito) que surge após um intervalo R-R longo. Assintomático, não requer tratamento específico.

ULTIMA ATUALIZAÇÃO: 13/04/2019

Onda P

  • [1] Positiva em DII.     
  • [2] Sempre negativa em aVR.     
  • [3] Positiva ou bifásica em DI e V1. 
  • Positiva de V2-V6.
  • Variável em DIII, aVL e aVF.
  • Duração ≤ 0,12 seg

Intervalo PR

  • Duração entre 0.12 e 0.20 seg.

QRS

  • Duração ≤ 0,12 seg.
  • [Q] Ondas Q de baixa amplitude em I, aVL, V5 e V6
    • Aumentam de V5 para V6.
    • Duração deve ser inferior a 0.04 seg. e amplitude deve ser inferior a 1/3 da amplitude da respetiva onda R.
  • [R] Ondas R aumentam de V1 para V5 e diminuem de V5 para V6. Maior amplitude em V5-V6, DI e DII.
  • [S] Ondas S aumentam de V1 para V2 e diminuem de V2 para V6. Maior amplitude em V1-V2 e aVR.

Intervalo QT

  • Duração entre 0.35 a 0.44 seg. (0.45 seg. nas mulheres)

Segmento ST

  • Habitualmente isoeletrico podendo ocorrer discretos desníveis que geralmente não ultrapassam os 2 mm.
  • Supradesnivalamento ST normal até 2 mm ocorre geralmente nas derivações precordiais (geralmente ocorrem nas bradicardias).
  • Infradesnivalamento ST normal geralmente não ultrapassa os 0.5 mm (geralmente ocorrem nas taquicardias).

Onda T

  • Onda T normal deve ser assimétrica (com maior declive descendente).
  • Deve ser positiva em V2-V6 (em casos raros pode ocorrer onda T negativa em V2 em mulheres jovens < 30 anos).
  • Em V1 pode ser positiva, negativa ou isoeletrica.
  • [4] Deve ser invertida em aVR.
  • Geralmente segue a polaridade do QRS.
  • Polaridade variável em DIII, aVL e aVF
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Filter by Categories
2020
Algoritmo
aTabela
Atividades preventivas
Atualizações
Bloqueios
Cardiovascular
cardio_calc
Contraceção e menopausa
conversão
Dermatologia
Dez 2019
Diabetes
Diagnostico
Dislipidemia
disritmia
Disrritmias
Doença coronária
Doenças infecciosas
Dor
ECG
Estomago
Fígado
Gastrenterologia
Hematologia
Imunoalergologia
Intervenção saúde
interv_calc
Intestino
Neurologia
normal
Obstetri_calc
Oftalmologia
ORL
Outros
outros
Pediatria
Ped_calc
Plataforma
Pneumologia
pneum_calc
Psiquiatria
Rastreio oncologico
Rastreios
Reumatologia
Risco cardiovascular
Saúde da mulher
Saúde materna
Saude Oral
taquicardias
terapêutica
Tiróide
Uncategorized
Urgência
Urologia
Vascular

Digite acima o seu termo de pesquisa e prima Enter para pesquisar. Prima ESC para cancelar.