CLASSIFICAÇÃO INTERNA

DIAGNÓSTICO E RASTREIO LABORATORIAL DA INFEÇÃO DO VIH

AUTOR: Raquel Lisboa (USF Monte Crastro / ACeS Grande Porto II – Gondomar)

VALIDAÇÃO: Joana Amaral (USF Amora Saudável / ACeS Almada/Seixal) 

ATUALIZAÇÃO: 4/07/2019

Rastreio VIH
[Not supported by viewer]
Indicado a todos os utentes com idade compreendida entre 18 e 64 anos de idade
[Not supported by viewer]
Resultado positivo
[Not supported by viewer]
Exposição de risco
[Not supported by viewer]
Apresenta outros critérios para repetir determinação laboratorial VIH 
[Not supported by viewer]
Sem necessidade de repetir determinação laboratorial VIH
[Not supported by viewer]
Repetir determinação laboratorial VIH
[Not supported by viewer]
1) Grávidas 

2) Crianças nascidas de mães que recusaram a realização do teste para pesquisa de VIH durante o período pré-natal

3) Mulheres em idade fértil no âmbito dos cuidados pré-concecionais 

4) Dadores de sangue 

5) Utentes em diálise

6) Dadores e recetores de órgãos transplantados
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]
Critérios para repetir determinação
laboratorial VIH por rotina
[Not supported by viewer]
Utente inclui-se nas seguintes subpopulações específicas
(independentemente da idade)
[Not supported by viewer]
1) Parceiros sexuais de homens e mulheres a quem foi diagnosticada infeção por VIH

2) Parceiros sexuais de homens e mulheres com VIH desconhecido mas que são de alto risco (a)

3) Homens que tiveram sexo com outros homens ou transexuais

4) Trabalhadores do sexo, feminino ou masculino

5) Utilizadores de drogas

6) Sem abrigo

> Utentes incluídos nos pontos 1-6 devem repetir teste VIH em 4 semanas e ponderar repetição anual se mantiverem condição.


7) Após violência sexual ou violação

8) Exposição ocupacional

> Utentes incluídos nos pontos 7-8 devem repetir teste VIH às 4 e 12 semanas sem necessidade de repetir futuramente.


9) Pessoas com teste VIH indeterminado

> Utentes incluídos no ponto 9 devem repetir teste VIH às 4 e 12 semanas sem necessidade de repetir futuramente.

9) Homens e mulheres originários de países com elevada prevalência de infeção por VIH (> 1%)

10) Homens e mulheres que tiveram sexo no estrangeiro ou em Portugal com pessoas de países de elevada prevalência

11) Reclusos

12) Populações nómadas

13) Pessoas com teste VIH negativo, mas com exposição ocorrida durante o período de janela imunológica

14) Pessoas com teste VIH indeterminado

15) Utentes em centros de aconselhamento e detecção precoce do HIV

16) Doentes a quem foi diagnosticado IST

17) Mulheres parceira de homens que tiveram sexo com outros homens
[Not supported by viewer]
Utentes a quem seja necessário realizar
diagnóstico diferencial de infeção por VIH
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Condições clínicas indicadoras de infeção VIH em adultos

1 - representam condições definidoras de SIDA
2 - representam outras condições onde o teste VIH deve ser disponibilizado

> RESPIRATÓRIO

1) Tuberculose; Pneumocistose

2) Pneumonia bacteriana; Aspergilose

> NEUROLÓGICO

1) Toxoplasmose cerebral; Linfoma cerebral primário; Meningite criptocócica
Leucoencefalopatia multifocal progressiva

2) Meningite asséptica/encefalite; Abcesso cerebral; Lesão ocupando espaço de causa desconhecida; Síndroma de Guillain-Barré; Mielite transversa; Neuropatia periférica; Demência; Leucoencefalopatia

> DERMATOLOGIA

1) Sarcoma de Kaposi; Pneumocistose

2) Dermatite seborreica severa; Psoríase severa; Zoster recorrente ou multidermátomo

> GASTRENTEROLOGIA

1) Criptosporidiose persistente; Candidose esofágica

2) Candidose oral; Diarreia crónica de causa desconhecida; Perda de peso de causa desconhecida; Salmonela, Shigela ou Campilobacter; Infeção pelo vírus da hepatite B; Infeção pelo vírus da hepatite C

> ONCOLOGIA

1) Linfoma não Hodgkin

2) Neoplasia ou displasia intraepitelial anal; Neoplasia pulmonar; Seminoma; Neoplasia da cabeça e pescoço; Linfoma de Hodgkin; Doença de Castleman

> GINECOLOGIA

1) Neoplasia cervical

2) Neoplasia vaginal intraepitelial; Neoplasia cervical intraepitelial grau 2 ou superior

> HEMATOLOGIA

1) N/A

2) Qualquer discrasia sanguínea não explicada, incluindo: Trombocitopenia, leucopenia, linfopenia

> OFTALMOLOGIA

1) Retinite por CMV

2) Doenças da retina incluindo herpes vírus e toxoplasma; Qualquer retinopatia não explicada

> OUVIDOS, GARGANTA E NARIZ

1) N/A

2) Linfadenopatia de causa desconhecida; Parotidite crónica; Quistos parotídeos linfoepiteliais

> OUTROS

1) N/A

2) Síndromas mononucleósicos; Febre de origem desconhecida; Qualquer linfadenopatia de causa desconhecida; Qualquer infeção de transmissão sexual

[Not supported by viewer]
Resultado positivo
[Not supported by viewer]
Repetir teste em duplicado
[Not supported by viewer]
Positivo para 1 ou ambos os testes
[Not supported by viewer]
Teste rápido serológico de discriminação VIH-1/VIH-2
[Not supported by viewer]
Não reativo
(VIH-negativo)
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
VIH-1 reativo
VIH-2 não reativo
[Not supported by viewer]
Reportar como
VIH-1 positivo
[Not supported by viewer]
VIH-1 não reativo
VIH-2 reativo
[Not supported by viewer]
Reportar como 
VIH-2 positivo
[Not supported by viewer]
VIH-1 reativo
VIH-2 reativo
[Not supported by viewer]
Reportar como 
VIH positivo
[Not supported by viewer]
Enviar amostra para laboratório de referência
[Not supported by viewer]
VIH-1 não reativo
VIH-2 não reativo
(ou inconclusivo)
[Not supported by viewer]
Teste de ácidos nucleicos para VIH-1
[Not supported by viewer]
Positivo
(deteta ARN VIH-1)
[Not supported by viewer]
Reportar como 
VIH-1 não detetado
[Not supported by viewer]
Reportar como 
VIH-1 positivo
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Sim
[Not supported by viewer]
Não
[Not supported by viewer]

BIBLIOGRAFIA:

Portugal. Direcção-Geral da Saúde (DGS). Norma de Orientação Clínica nº 058/2011 de 28/12/2011 atualizada a 10/12/2014. Diagnóstico e Rastreio Laboratorial da Infeção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH)Lisboa: DGS, 2014.